Onde andas tu verinha?

A recuperar da cirurgia de ontem, com a visita da mãe e ajuda do marido :)


Frescoda-se...

Acordar com -4 graus é algo fantástico, a cama está quente, a casa esta quente, arranjamo-nos, tentamo-nos preparar para o frio que vai estar vestindo várias camadas e saímos.
No prédio já se sente a diferença mas mal abrimos a porta da frente...



Thanks giving

Tenho muita coisa a agradecer apesar de ir agradecendo todo o ano.
Sou saudável, apesar de ter algumas condicionantes na vida descobertas recentemente, não há qualquer doença grave que me assole.
Tenho uma família, marido e amigos espectaculares.
Tenho casa, roupa lavada e comida no frigorífico.
Dinheiro para viajar ou para algum imprevisto.

Sou feliz, sou agradecida, faltam-me algumas coisas na vida, mas enquanto não chegam o que tenho satisfaz-me...



Devíamos pensar bem na mesagem que queremos passar aos futuros adultos desta nação

Para mim a polémica não é a Cristina Ferreira ter escrito um livro, nem nele revelar que foi vítima de assédio mas sim a facilidade com que as pessoas a culpam por ter sido alvo de assédio, a facilidade com que se culpam as vítimas, que vai na volta foi assim que subiu, que lá no fundo até gosta, que naquele meio já se sabe.

Revolta-me que seja algo a que as pessoas estejam habituadas, revolta-me a frase "já se estava à espera", revolta-me que as mulheres sejam muitas vezes as que dizem coisas piores.

Eu sou mulher, já senti assédio no local de trabalho, nunca por um superior, mas senti. Não é bom, não é bonito, não é normal e não devia ser encarado com tanta leveza.

Quantas vezes damos por nós numa rua sozinhas, ouvimos passos ou vemos um homem e rezamos para que alguém apareça, ou que esse homem vire por outro caminho.

Infelizmente acontece, infelizmente muito frequentemente, infelizmente culpam-se vítimas ou desvalorizam-se sentimentos, infelizmente "uma mulher chega onde chega porque deve ter dormido com as pessoas certas" mas um homem chega onde chega por mérito.

Será que é esta mensagem que queremos passar às gerações que um dia governarão o mundo?




Levaram a nossa camera

Aproveitando a folga do Ricardo, fomos a Kijkduin, vimos o Sinterklaas a chegar com os Zwart Piet e ainda passeámos à beira-mar.



Wanderlust

Inspirada na nossa querida L. decidi responder a estas perguntas:


1. Quando e para onde ia o seu primeiro avião?
Foi em 2001, para a ilha Terceira, a caminho do X Jamboree (reunião escutista).

2. Para onde você já foi e gostaria de voltar?
Irlanda porque o Ricardo não pode ir, Escócia porque muito ficou por ver, México porque foi sem dúvida uma das melhores viagens que fiz. Londres e Gotemburgo porque temos lá amigos.

México, 2-11-2015


3. Você está viajando amanhã e dinheiro não é problema. Para onde você vai?
Dar a volta ao mundo vale?!

4. Método preferido de viagens: avião, trem ou carro?
Depende do intuito, todos têm as suas vantagens mas sem dúvida que avião é o preferido, rápido, confortável e seguro.


5. Site preferido de viagens
Não tenho nenhum, mas planeio as minhas viagens com antecedência. Gosto de ir vendo preços de viagens, hotéis, locais para visitar e a melhor maneira é ir ao google e retirar o maior número de informações que conseguir. Pedir conselhos a amigos também ajuda.

6. Para onde você viajaria só para comer a comida local?
Japão, nunca fui e fora a curiosidade enorme pela cultura é igualmente grande pela gastronomia.

7. Sabe o número do passaporte de cabeça?
Mas há alguém que saiba?

8. Você prefere assento do meio, corredor ou janela?
Janela, dá para observar tudo. Mas confesso que em voos de longo curso ter de pedir sempre às pessoas para sair do buraco é chato, principalmente se elas estão a dormir e nós temos mesmo de ir à casa-de-banho.


9. Como você passa seu tempo no avião?
Ler, ver séries, falar com quem me acompanha, tirar fotos, jogar e/ou dormitar

10. Existe algum lugar para onde você nunca mais voltaria?
Felizmente lugar nenhum me despertou ódio.

Endometriose, adenomiose e síndrome de ovários poliquísticos...

Pois não chegava ter um deles como tenho 2 deles confirmados e um que muito provavelmente também terei.
Há cerca de dois anos comecei com dores diárias abdominais, fui deixando andar, decidi parar de tomar a pílula para ver o que acontecia e piorou, drasticamente! Decidi ir à médica de família, entre exames aos bochechos e queixas constantes, incluindo  queixas ginecológicas, 2 meses depois lá me mandou ao ginecologista.

Mais exames e a solução deles era: deixar andar. Piorei imenso um mês e voltei ao ginecologista (outro porque o meu estava de férias) e fiquei chocada quando ele me disse não compreender porque queria saber o motivo de ter dores diárias, que interferem com a minha vida. Ainda me disse também que às vezes era melhor ficar sem saber, ignorância é uma bênção. Passei-me, exigi que me passasse uma ressonância, pois já tinha sido mencionado endometriose pelo outro ginecologista e até pela médica de família e é um dos exames de diagnóstico e a minha mãe teve adenomiose (endometriose uterina). Muito a custo, ele passou a ressonância, porque eu pago um seguro de saúde obrigatoriamente e tenho o direito de saber o que tenho e se possível tratar disso e deixar de ter dores.

Fiz a ressonância em Julho, consulta marcada apenas para Novembro. Comecei a andar super angustiada, chorava todos os dias nas semanas que antecederam as minhas férias e decidi que em Portugal iria a um especialista recomendado pela Sandra, obrigada Sandra, por tudo. Fui, ele viu as imagens da RM que fiz em Amesterdão, fez perguntas chave, mandou fazer mais alguns exames e concluiu que tinha ovários poliquísticos e adenomiose, endometriose não seria profunda (diagnóstico feito antes de fazer os exames e confirmado depois de os ter feito).

Entretanto tive a consulta cá com um especialista em endometriose, vou fazer laparoscopia para ver se existe endometriose superficial, que o dr. António Setúbal acredita que existe de facto, pode ajudar a aliviar as dores, pode não resultar em nada... Vamos ver.

Atenção - endometriose é uma condição que afecta muitas mulheres em idade fértil. Não se deixem levar pela lengalenga que ter dores é normal porque somos mulheres e que temos de aguentar que não há solução.


Os cozinhados destes dias...


Ontem foi dia de S. Martinho e claro que tinha de fazer castanhas, trazidas de Lisboa para o nosso forno, ficaram bem boas!

Acompanhámos com um vinho tinto da Quinta de Alcube reserva 2012, muito bom vinho!











Hoje aventurei-me a experimentar fazer sopa de miso e digo-vos que, tendo todos os ingredientes, é super fácil, ficou exactamente com o mesmo sabor. A única coisa que não adorei foi o tofu ter ficado riginho, acho que cortei pedaços muito grandes, mas ficou muito boa. A repetir!

Sumo de maçã

Qualquer semelhança com a realidade não é pura coincidência!

Num avião, algures no espaço aéreo europeu:
Assistente de bordo- O que deseja beber.
Passageira- Sumo de maçã
Assistente de bordo- Não temos, só de laranja ou pêra
 Pausa de dois segundos...
Passageira- então pode ser vinho tinto.

Assistente ri-se cordialmente porque a sua vontade era de rebolar a rir no chão.


É este o mundo em que vivemos agora???

Ontem li que em  Munique estão a fazer um muro para colocar os 160 refugiados que irão para lá viver, mais alto que o muro de Berlim.

Donald Trump venceu as presidenciais.
Claro que a Hillary não era um excelente candidata, nem sequer era uma boa aposta mas, era o mal menor...